Notícias

Prefeitura de Lages testa máquina trituradora de galhos de podas de árvores


Com esta nova máquina, Lages terá um ganho muito importante no que diz respeito à  destinação correta dos restos das podas de árvores, serviços estes que são rotineiros. Toda a serragem produzida será utilizada na minicompostagem orgânica de hortas escolares e caseiras
— , Euclides Mecabô
Prefeitura de Lages testa máquina trituradora de galhos de podas de árvores O aparelho é da marca Lippel, fabricado na cidade de Agrolândia, e custou R$ 119 mil / Fotos: Iran Rosa de Moraes

Máquina trituradora dos galhos das podas de árvores foi testada com êxito no Horto Municipal. Trata-se de uma máquina nova adquirida com verba repassada à Secretaria Municipal de Serviços Públicos e Meio Ambiente pelo Ministério do Meio Ambiente, via Caixa Econômica Federal (CEF), em virtude de conquista do primeiro lugar no 1º Edital Nacional de Compostagem (orgânica).

Desenvolvido pela Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente e pelo Centro de Ciências Agroveterinárias da Universidade do Estado de Santa Catarina (CAV/Udesc), o projeto intitulado “Lixo Orgânico Zero em Lages” recebeu verba no total de R$ 985 mil. Das 300 propostas inscritas de todo o país, apenas 11 foram selecionadas. Além de Lages, na primeira posição geral, foram classificadas também as prefeituras de Florianópolis, Santos (SP), Rancho Queimado, Maracaju (MS), Sertãozinho (SP), Igarapé (MG), Palotina (PR), Herval (RS) e Tacuru (MS), e Consórcio do Complexo Nascentes do Pantanal (MT). O objetivo central deste projeto, hoje coordenado conjuntamente pela diretora ambiental e pedagoga Silvia Oliveira, pelo agrônomo Germano Güttler, e pela bióloga Márcia Spiller, é o desenvolvimento e a difusão das técnicas da minicompostagem orgânica, especialmente em hortas e jardins de escolas públicas de Lages.

Triturador

O aparelho é da marca Lippel, fabricado na cidade de Agrolândia, e custou R$ 119 mil. Durante o primeiro teste de funcionamento, na manhã desta sexta-feira (9 de novembro), técnico especializado da Lippel repassou ensinamentos para equipe da Secretaria Municipal de Serviços Públicos e Meio Ambiente, que a partir de agora irá operar o equipamento.

O secretário municipal, Euclides Mecabô (Tchá Tchá), e a diretora de Meio Ambiente, Silvia Oliveira, acompanharam as atividades iniciais. “Com esta nova máquina, Lages terá um ganho muito importante no que diz respeito à destinação correta dos restos das podas de árvores, serviços estes que são rotineiros na cidade”, justificou o secretário.

Silvia Oliveira destaca a utilização do triturador para a produção de serragem, material utilizado na cobertura do material orgânico (adubo) nas hortas. “Vamos poder produzir serragem para as hortas já implantadas e também para distribuição para a comunidade em geral que queira utilizar este material em hortas caseiras”, completa.

Aula sobre minicompostagem

Após o teste inicial da máquina trituradora, a serragem produzida foi levada para a horta da Escola Municipal de Educação Básica (Emeb) Lupércio de Oliveira Koeche, no bairro Várzea, onde a pedagoga Silvia Oliveira ensinou grupos de alunos a como utilizarem este material para a cobertura de materiais orgânicos (cascas de frutas juntadas na cozinha da Escola). Com a minicompostagem, a meta é reduzir em 40% o volume de material orgânico no aterro sanitário. “Nossa principal meta é, em dois anos de desenvolvimento do programa, atingirmos dez mil residências, incluindo as casas do Condomínio Ponte Grande e os condomínios do Minha Casa Minha Vida. Isto será possível por meio de um intenso trabalho de mídia, seminários, orientação nos bairros, distribuição de mudas, acompanhamento técnico, palestras e oficinas nas escolas”, destaca Silvia.